23/04/2015 | 10:59 - Atualizado em: 23/04/2015 | 10:59

Consórcio de imóveis é boa opção para quem não tem pressa

Bem financiado pode custar 70% mais caro, mas proprietário pode usar imediatamente

Douglas Nunes douglas.nunes@brasileconomico.com.br

O cenário econômico é de aumento das taxas de juros e maior dificuldade para obtenção de crédito no mercado. Com isso, a opção por consórcios é mais vantajosa no período, mas somente para quem pode esperar para ter o bem no futuro. Financiar um imóvel de R$ 250 mil em 120 meses custa até 70% mais caro que adquirir a mesma unidade em sistema de consórcio.

Nos dois primeiros meses do ano, o consórcio de imóveis teve aumento de 2,7% no número de participantes, chegando a 880 mil em fevereiro. Presidente executivo da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), Paulo Roberto Rossi afirma o momento é de avaliar com cautela as opções de comprometimentos financeiros e não arcar com as atuais altas taxas de juros. “O consórcio propícia ao consumidor, diante do orçamento doméstico cada vez mais apertado, exercer planejamento financeiro”.

Para o diretor executivo da BB consórcio, Paulo Ivan Rabello, a modalidade é mais barata. “Não é feito pensando em ter o imóvel naquele momento, mas terá uma prestação de acordo com seu objetivo, de qualquer valor e sem comprometer muito a renda”, disse Rabello.

Para o executivo, outro diferencial é a possibilidade de mudança de planos de crédito durante as prestações. “É possível entrar com o modelo de crédito de R$ 500 mil e depois trocar por um menor, caso seja melhor devido a uma readaptação financeira”, disse. Nesse primeiro trimestre, o Banco do Brasil teve crescimento de 6,2% no número de participantes na modalidade.

O superintendente da Porto Seguro Consórcio, William Rachid, também confirma o otimismo com a modalidade, que apresentou crescimento de 14% na empresa no último trimestre de 2014. “As receitas no período totalizaram R$ 53 milhões, resultado do aumento no número de clientes e do crescimento das vendas de produtos com maior ticket médio”.

A possibilidade de utilizar o FGTS é outro atributo que destaca o consórcio, pois aumenta as chances de contemplação, pois pode ser utilizado para ofertar um lance maior e ter o imóvel de forma mais rápida. “O cliente passa a adquirir um bem de maneira estudada e planejada, além de reduzir riscos com impulsividade e descontrole financeiro”, informa Rachid.

O diretor do Bradesco Consórcios, Mauricio Gomes Maciel, destaca ainda que a modalidade serve para qualquer valor de imóvel. “O banco tem a cota máxima de 480mil, mas é possível ter duas ou mais cotas gerando um valor maior e adquirir o imóvel quando todas forem contempladas”.

Para Maciel, o que define se o interessado em imóveis deve optar pelo modelo de consórcio é a necessidade de ter o bem imediatamente ou poder esperar para adquirir futuramente. “O grande diferencial para determinar o tipo de cliente é o tempo para a aquisição. Se o cliente tiver tempo, a modalidade é um excelente negocio. Mas, se for para algo de mais imediato, o financiamento é a melhor opção”, disse.

Consórcio x financiamento x investimento

A administradora do consórcio reúne um grupo de pessoas com o objetivo comum de adquirir um bem de mesmo valor. A cada mês, o dinheiro das parcelas pago por todos os participantes é usado para que, ao menos dois deles, possam fazer a aquisição. As pessoas são definidas através de sorteio e também de quem faz o maior lance.

Na comparação consórcio x financiamento para aquisição de imóvel de R$ 250 mil em 120 meses, o consórcio sai mais barato: R$ 294.999,60, enquanto, no financiamento, alcançaria R$ 512.037,60 - custo adicional de R$ 217.038. Porém, no financiamento, o interessado pode ter o imóvel imediatamente.

Para os cálculos, foi considerado custo de financiamento de 11% ao ano. Já os custos do consórcio foram: taxa de administração (17%), fundo de reserva (1%) e correção pelo INCC (5% ao ano). Segundo a Abac, esses custos são considerados atualmente como valor médio de mercado.

Se o interessado em adquirir um imóvel depositar, em uma aplicação, o valor das parcelas do consórcio, de R$ 2.458,33 mensais, conseguirá acumular R$ 250 mil em 79 meses. Ou seja, terá o dinheiro para comprar o bem 41 meses antes do fim do consórcio. Nessa simulação, a aplicação rende 0,6% ao mês.

Notícias Recomendadas