04/02/2015 | 09:10 - Atualizado em: 04/02/2015 | 09:10

Smartphones dominam acesso à internet no país, segundo pesquisa

Estudo da Vivera Mobile aponta que os celulares já concentram o acesso mesmo em casa. Classe C já é mais de um terço dos usuários desses dispositivos

Gabriela Murno gmurno@brasileconomico.com.br

Rio - No Brasil, 51,4 milhões de pessoas já usam smartphones com acesso à internet, apontou pesquisa da Vivera Mobile, marca da Spring Mobile Solutions, em parceria com a Nielsen Ibope, finalizada em outubro do ano passado. Segundo o estudo, que ouviu mil pessoas de todo o país, a classe C já representa mais de um terço do total de usuários.

“O perfil dos usuários mudou, principalmente quando vemos avanço da classe C, que está cada vez mais influente e contribuindo para o aumento do uso de smartphones no país. Esses resultados mostram a importância das empresas se especializarem em oferecer produtos inovadores que atenda melhor a esse público, que exige mais qualidade e conteúdo, mas com preços acessíveis”, explicou o diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios da Vivera Mobile, Yuri Fiaschi.

Uma das novidades do estudo é que o smartphone já é o dispositivo mais usado em casa para acessar a internet (36%), desbancando o notebook (32%), o desktop (25%), e muito a frente do tablet (6%). “O tablet não se firmou como um item essencial. Houve o momento da curiosidade, que fez com tivéssemos um boom de vendas. Mas se acalmou, e as pessoas acabam utilizando como segunda tela. Ele nunca vai conseguir concorrer com smartphone, que já virou item essencial. A utilização de smartphones com telas cada vez maiores também fez com que algumas pessoas substituíssem o tablet pelos telefones”, explicou o executivo.

O sistema operacional mais usado é o Android, do Google, presente em 78% dos aparelhos, enquanto o principal rival, o iOS da Apple, é encontrado em apenas 9%. “O Android é um sistema operacional aberto e acaba sendo instalado na maioria dos telefones, que atingem todas as classes. A Apple vende conjunto de hardware com software, e pelo preço, acaba tendo menos penetração no mercado”, disse Fiaschi.

As redes sociais continuam sendo as mais acessadas pelos usuários de smartphones, com 81%; seguida pelos e-mails, com 78%; e vídeos, com 52%. Logo depois estão notícias e música, com 50% cada; e esportes e e-commerce, ambos com 22%. Além disso, de quem declara navegar nas redes sociais e em serviços de mensagens no smartphone, 70% usam WhatsApp. “O crescimento das redes sociais e aplicativos de mensagens vai continuar. Já há um grande esforço das empresas para utilização de aplicações voltadas ao marketing, trazendo, por exemplo, promoções, o que é muito atraente para a classe C”, ressaltou Fiaschi.

“Quando falamos em marcas fortes, elas podem ter aplicações próprias, pela relação estreita que já têm com seus clientes. Mas, de um modo geral, é interessante que as marcas já façam ações dentro de aplicativos que as pessoas estão familiarizadas para, inclusive, não sobrecarregar os aparelhos que tem memória limitada”, completou ele. De acordo com o estudo, 71% do total de usuários de smartphones conectados fazem alguma interação com a televisão; 87% têm até 30 aplicativos no aparelho, mas 84% usam só até dez deles, e 39% utilizam no máximo seis apps.

A pesquisa indicou ainda que entre as fabricantes, a Samsung mantém a liderança no Brasil, com 41% dos smartphones; Motorola ganhou adeptos, chegando a segunda posição, com 18%; a LG tem 12% do mercado; enquanto a Nokia perdeu espaço, empatando com a Apple, com 9%. Em seguida vem a Sony (3%). Sony Ericsson, CCE, HTC e Black Berry somam 1% cada.

Notícias Recomendadas