Negócios

29/12/11 | 16:16 - Atualizado em: 29/12/11 | 16:16

Condições econômicas beneficiam setor de alimentos

De acordo com a equipe de análise do Bradesco BBI, o setor de alimentos e bebidas brasileiro se beneficiará em 2012 do aumento da renda da população.

Rafael Palmeiras redacao@brasileconomico.com.br
Também seguem com recomendação "em linha com a média do mercado" os frigoríficos JBS, Minerva e Marfrig

"Acreditamos que o aumento do salário mínimo e os programas sociais devam continuar impulsionando a demanda das classes mais baixas", observa o banco de investimentos do Bradesco.

A instituição ressalta, no entanto, que a inflação pode afetar negativamente o rendimento disponível.

Para o banco, os destaques do setor são a Ambev e a Brasil Foods (BRF), com recomendação de "market perform" (em linha com a média do mercado).

Na avaliação do Bradesco BBI, as ações da companhia de bebidas (AMBV4) devem atingir preço-alvo de R$ 67,90 no próximo ano.

"A AmBev possui marcas fortes, alta rentabilidade e potencial de crescimento, especialmente no segmento brasileiro de cerveja premium", afirma a equipe do banco em relatório.

Para a Brasil Foods, a expectativa é de que as sinergias geradas entre Sadia e Perdigão impulsionem as margens. Os ganhos de sinergia para 2012 foram revisados de R$ 500 milhões para R$ 1 bilhão. 

E para alcançar o objetivo de faturamento de R$ 50 bilhões em 2015, a empresa "deve usar os recursos provenientes de venda de ativos para expandir internacionalmente de forma agressiva, incluindo expansão orgânica e aquisições seletivas," destaca o Bradesco BBI.

O preço-alvo previsto para as ações da Brasil Foods (BRFS3) é de R$ 38,20.

Frigoríficos

Também seguem com recomendação "em linha com a média do mercado" os frigoríficos JBS, Minerva e Marfrig.

No que diz respeito ao JBS (JBSS3), a perspectiva é de melhora para os negócios nos próximos anos, principalmente no segmento de carne na região do Mercosul.

"Esperamos que o JBS se beneficie com a otimização do processo de produção no Brasil, com a reorganização de vários plantas, resultando em até R$ 200 milhões em sinergias operacionais", considera o Bradesco BBI.

A expectativa para o preço-alvo dos papéis do JBS (JBSS3) é de R$ 5,20.

Para as ações do Marfrig (MRFG3), a estimativa é de um preço-alvo de R$ 10,70. A equipe de análise da instituição acredita na melhora do fluxo de caixa do Marfrig e consequente desalavancagem financeira.

Para atingir essa meta, a empresa anunciou medidas para aperfeiçoar a eficiência operacional, através de reorganização das operações de carne bovina, criação de um centro de serviços compartilhados, além de centralizar as operações da Seara em São Paulo.

Mesmo assim, a expectativa é que este processo leve "algum tempo" e não é visto um vetor de alta para as ações.

Já no caso do Minerva, a empresa passará por uma desalavancagem gradual, com preços menos voláteis e expansão da rede de distribuição interna para regiões de alta demanda.

O preço-alvo para as ações do Minerva (BEEF3) é de R$ 6,10.