[an error occurred while processing this directive]

Negócios

26/03/12 | 09:06 - Atualizado em: 26/03/12 | 09:06

Dados positivos da Europa trazem ganhos aos mercados

Bolsas europeias e índices futuros dos Estados Unidos sobem, impulsionados por indicadores da Alemanha e da Itália.

Giulia Camillo redacao@brasileconomico.com.br
Na Europa, as bolsas sobem com dados melhores do que o esperado na Alemanha

A manhã parece trazer boas perspectivas para o mercado brasileiro, com as bolsas europeias operando em alta e o mercado futuro americano apontando uma abertura no campo positivo nesta segunda-feira (26/3).

As notícias vindas do velho continente animam o mercado, mostrando dados melhores que o esperado na Alemanha e na Itália. A pesquisa de clima de mercado do Instituo de Pesquisas Econômicas alemão (IFO) subiu de 109,7 pontos para 109,8 pontos em março, acima das expectativas de 109,6 pontos.

Já o índice de confiança do consumidor italiano teve uma melhora inesperada neste mês, atingindo 96,8 pontos, no maior nível desde julho de 2011.

Dessa forma, o DAX, de Frankfurt, sobe 0,65%, acompanhado de perto pelo FTSE 100, de Londres, com alta de 0,48%. Na França, o CAC-40 registra valorização menor, de 0,12%.

Por outro lado, a maior fonte de preocupação segue sendo a Espanha. O governo do país não conseguiu assegurar a maioria nas eleições na Andaluzia, dificultando a aprovação de medidas de austeridade na região.

Nos Estados Unidos, o dia também é de alta, com o mercado atento ao discurso de Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve. Dentre os indicadores, destaque para os contratos assinados de venda de imóveis que ainda não tiveram conclusão do negócio, a serem divulgados às 11h.

Antes, porém, os americanos devem ficar atentos ao índice de atividade econômica de Chicago, que abre a agenda local às 9h30. No início da tarde, o mercado conhece ainda o índice Fed Dallas de atividade industrial.

Por lá, os índices futuros do S&P 500 e do Dow Jones sobem 0,36% e 0,37%, enquanto o Nasdaq registra alta de 0,50%.

Noticiário nacional

No âmbito doméstico, os investidores devem ficar atentos aos dados divulgados pelo Banco Central. Segundo o Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), a economia brasileira teve contração de 0,13% em janeiro, após dois meses de alta.

Além disso, também chamam a atenção dos resultados da Marfrig e da Suzano Papel e Celulose. O frigorífico terminou o quarto trimestre de 2011 com um prejuízo de R$ 138,6 milhões, frente ao lucro de R$ 161,1 milhões verificado no mesmo período do ano anterior.

Segundo a empresa, o aumento das despesas financeiras e dos juros provisionados foram os principais responsáveis pelas perdas líquidas.

Por sua vez, a Suzano obteve um lucro líquido de R$ 208,1 milhões no último trimestre do ano passado, com queda de 17% frente ao quarto trimestre de 2010. O resultado foi impactado pela redução do preço líquido médio em reais de papel e celulose e pelo aumento das despesas comerciais, gerais e administrativas.

[an error occurred while processing this directive]