[an error occurred while processing this directive]

Negócios

21/03/12 | 18:30 - Atualizado em: 21/03/12 | 18:30

Dólar fecha com alta de 0,12% em dia sem atuação do BC

Durante o dia, a moeda americana oscilou entre a mínima de R$ 1,8140 e a máxima de R$ 1,8305.

Brasil Econômico redacao@brasileconomico.com.br

O dólar fechou em leve alta ante o real nesta quarta-feira (21/3), após ter registrado mais ganhos na maior parte do dia, acompanhando o ambiente externo negativo e com a expectativa de intervenções do Banco Central (BC).

A moeda america fechou a sessão com alta de 0,12% frente ao real, cotado a R$ 1,8205. Durante o dia, oscilou entre a mínima de R$ 1,8140 e a máxima de R$ 1,8305.

O dólar chegou a ficar praticamente estável por volta das 16 horas, no entanto, diferentemente de terça-feira (20/3), o BC não realizou leilão de compra da divisa neste pregão.

Nesta quarta-feira, dados do segmento imobiliário nos Estados Unidos deixaram os mercados um pouco mais pessimistas, já que passaram a acreditar que o setor deve demorar mais para se recuperar. As vendas de casas usadas nos Estados Unidos caíram inesperadamente em fevereiro e a oferta de propriedades no mercado subiu.

No mercado externo, o dólar também operou em alta ou próximo à estabilidade em relação a outras moedas, como ante do dólar australiano. Em relação a uma cesta de moedas, a divisa tinha leve queda de 0,01%.

Além do setor externo, o mercado continuou aguardando que o BC pudesse voltar a intervir. Na terça-feira, o BC realizou um leilão de compra de dólares, o que não aconteceu agora. Profissionais do mercado acreditam que o BC tem tentado se tornar menos previsível.

"Depois das 15h50, 16h, o mercado começou a achar que o BC não atuaria mais e esvaziou a alta. O mercado teve uma posição especulativa e viu mais oportunidade na venda do que na compra", disse o economista-chefe da BCG Liquidez, Alfredo Barbutti.

Para o operador de câmbio da Renascença, José Carlos Amado, além do cenário externo, o mercado deve continuar operando na expectativa de atuação da autoridade monetária. "O mercado está mais sensível ao BC, já mexeu bastante", disse.

Nesta quarta-feira, o Banco Central ainda divulgou dados do fluxo cambial, que mostraram que a entrada líquida de dólares no Brasil reduziu na semana passada, ficando em US$ 514 milhões, após o governo ter anunciado mais medidas para diminuir os ingressos de recursos numa tentativa de conter uma valorização excessiva real.

© Thomson Reuters 2012. All rights reserved.

[an error occurred while processing this directive]