Negócios

10/01/12 | 16:29 - Atualizado em: 10/01/12 | 16:29

Gestão de saúde é primeiro alvo da Telefonica Digital

Nova unidade de negócios da Telefônica fará lançamento no Brasil de sistemas de gestão de saúde que já estão em uso em países como Espanha, Inglaterra e Chile.

Fabiana Monte redacao@brasileconomico.com.br
Telefônica/Vivo quer atacar primeiro o setor privado, focando em operadoras de planos de saúde, hospitais e corporações interessadas

Desde setembro, quando anunciou sua nova estrutura global, com a criação da Telefônica Digital, a companhia espanhola vem dando sinais de que quer ser mais do que uma provedora de conectividade.

Por meio da recém-criada unidade de negócios, a Telefônica pretende investir no desenvolvimento de novas plataformas de negócio, prestando serviços de alto valor em áreas estratégicas, como saúde digital, que dependem da rede de telecomunicações para funcionar.

E é justamente o mercado de saúde que a companhia começa a explorar no Brasil. A empresa lançará ofertas comerciais na área ao longo deste ano e para isso vem realizando projetos-piloto. Vinte profissionais, das áreas técnica e comercial, estão dedicados à área.

"Estamos trazendo para o Brasil soluções de saúde digital desenvolvidas pela Telefônica Digital e em uso na Espanha, na Inglaterra e no Chile. Para trazê-las para o Brasil é preciso fazer adaptações para o mercado local", afirma Maurício Romão, diretor de produtos e serviços financeiros da Telefônica/Vivo.

Com esses produtos, a Telefônica/Vivo quer atacar primeiro o setor privado, focando em operadoras de planos de saúde, hospitais e corporações interessadas em soluções para a saúde de funcionários.

"Nunca seremos um hospital ou um convênio. Atuaremos com parceiros e vendemos a solução tecnológica", diz Romão.

Informatização de hospitais

Para hospitais, operadoras de plano de saúde e médicos, um dos produtos em adaptação é a agenda eletrônica, que tem 6 milhões de clientes, entre médicos e hospitais, cadastrados na Espanha. Trata-se de uma plataforma que permite a marcação de consultas por meio de unidade remota de atendimento.

Outro produto é o sistema de gestão de imagens, que armazena exames na internet para que sejam acessados por médicos à distância, sempre com a permissão do paciente.

A solução de telereabilitação, composta por software e sensor que é conectado à televisão, funciona como se fosse um videogame para tratamentos de fisioterapia.

"Hoje, você vai dez vezes à clínica para fazer fisioterapia. Com a solução, o paciente vai uma vez, aprende os movimentos com o fisioterapeuta e repete em casa. Se fizer o movimento incorretamente, a solução avisa", diz Michel Daud Filho, diretor de promoção à saúde da Vivo/Telefônica.

A empresa também vai tropicalizar o sistema de gestão de doentes crônicos que somam 20% da população mundial.