[an error occurred while processing this directive]

Negócios

27/03/13 | 09:08 - Atualizado em: 27/03/13 | 09:08

IGP-M recua 0,21% em março, aponta FGV

A variação acumulada em 2013 até o terceiro mês do ano é de 0,84%. Em 12 meses, o IGP-M variou 8,06%.

Brasil Econômico redacao@brasileconomico.com.br
Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram alta em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) recuou 0,21% em março, contra alta de 0,29% em fevereiro. No mesmo período de 2012, o índice cresceu 0,43%.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (27/3) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), e foram coletados entre 21 de fevereiro e 20 de março. A variação acumulada em 2013, até março, é de 0,84%. Em 12 meses, o IGP-M variou 8,06%.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que acompanha os preços no atacado e responde por 60% do indicador, passou de 0,21% em fevereiro para 0,01% em março.

A taxa de variação dos bens finais recuou de 1,26% para 1%. A maior contribuição para esta desaceleração teve origem no subgrupo combustíveis, cuja taxa passou de 5,09% para 0,85%.

No estágio dos bens intermediários, a taxa de variação passou de 0,73 % para -0,28%.

Em contrapartida, o índice de matérias-primas brutas atingiu -0,78%, ante -1,58% em fevereiro.

A ligeira melhora ocorreu principalmente pela aceleração expressiva no preço da soja (em grão) (-11,06% para -4,78%), minério de ferro (3,21% para 5,88%) e leite in natura (-0,02% para 1,78%).

Entre os demais componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) passou de 0,30% para 0,72% em março.

Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (-1,75% para 0,48%).

Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -16,14% para -1,62%.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Vestuário (-0,28% para 0,70%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,40% para 0,58%) e Comunicação (0,18% para 0,47%).

Em sentido contrário à tendência do índice, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (1,45% para 0,30%), Despesas Diversas(2,08% para 0,20%), Transportes (0,89% para 0,61%) e Alimentação (1,51% para 1,37%) .

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou de 0,80% em fevereiro para 0,28% em março.

O índice de materiais, equipamentos e serviços passou de 0,59% para 0,42%, enquanto o relativo à mão de obra variou 0,14%, após avançar 1% em fevereiro.

[an error occurred while processing this directive]