[an error occurred while processing this directive]

Negócios

15/09/10 | 16:52 - Atualizado em: 15/09/10 | 16:52

JBS faz novo recall de carne cozida nos Estados Unidos

Um terceiro recall de carne enlatada brasileira produzida pelo JBS em Lins (SP) foi anunciado nos Estados Unidos. Trata-se da segunda extensão do recall original ocorrido em maio deste ano.

Luiz Silveira redacao@brasileconomico.com.br
Seção de enlatados em supermercado dos EUA; o novo recall de carnes do JBS teve classe de risco à saúde rebaixada de risco baixo para sem risco

Na época, as autoridades sanitárias americanas identificaram excesso do vermífugo ivermectina em um lote fabricado no frigorífico do interior paulista que pertencia ao Bertin, adquirido no ano passado pelo JBS.

Desta vez, o volume de produtos a ser retirado do mercado é bem maior. São 113,6 toneladas, que se somam a 39,5 toneladas do recall de 14 de maio e mais 27,7 toneladas de um recall complementar de 24 de junho.

A decisão de junho foi tomada pelas autoridades americanas depois de o Brasil suspender voluntariamente as exportações de carne bovina para os Estados Unidos.

O país só exporta para o mercado americano carnes cozidas, sendo proibida a venda de carne in natura.

Este recall anunciado anteontem, dia 13, foi motivado pela entrada de oito lotes de carne produzida pelo frigorífico de Lins nos Estados Unidos após a suspensão das importações, imposta pelo serviço sanitário americano em 6 de maio.

O JBS informou em nota que se trata de uma continuação do recall anterior e que não afetará os resultados financeiros da empresa. Segundo informações internas, a empresa tinha dúvida se a suspensão da fábrica de Lins valia para todos os produtos ou só para o lote no qual foram detectados os problemas.

O governo americano só teria resolvido a dúvida agora, ao anunciar o recall desses produtos que entraram nos Estados Unidos depois de maio.

Considerando as duas extensões do recall, já são cinco as marcas americanas sob as quais as latas do JBS foram comercializadas e precisam ser retiradas do mercado.

Alguns desses nomes são tradicionais e pertencem a grandes companhias, como a Libby's, da gigante alimentícia ConAgra e a primeira a sofrer o recall.

Também estão na lista latas com o logo da Kroger, rede de supermercados que possui 2,5 mil lojas e faturou US$ 76,7 bilhões em 2009. Outros produtos tinham a tradicional marca Hormel, que fabrica enlatados nos Estados Unidos com o mesmo nome desde o século 19 e tem hoje 19 mil funcionários.

Além de marcas conhecidas, parte dos produtos proibidos foi distribuída ao atacado, para reprocessamento e embalagem. Produtos de varejo com as marcas Deltina, da International Food Packers, e Brushy Creek, também terão de ser recolhidos. Oito estados americanos receberam os produtos.

Risco menor

Apesar de exigir um novo recolhimento de latas fabricadas pelo JBS no Brasil, o sistema federal de inspeção sanitária dos Estados Unidos rebaixou a classe de risco do recall em relação aos dois anteriores.

Nos dois primeiros eventos, os recalls receberam classe II: risco baixo, com possibilidade remota de danos à saúde. Desta vez, a classe de risco foi III: sem probabilidade de danos à saúde.

[an error occurred while processing this directive]